Entenda o porte de empresa: definições e classificações

O porte de empresa se refere ao tamanho e escala das operações de um negócio, com base em critérios como faturamento anual, número de funcionários e setores de atuação. Essa classificação é essencial para determinar obrigações fiscais, regulamentações e acesso a financiamento, permitindo que as empresas ajustem suas estratégias de acordo com seu tamanho e recursos disponíveis.
Papel com gráfico de barras e calculadora por cima para indicar porte de empresa

Quer aprender como investir em dólar no maior mercado de ações do mundo? Então conheça o Dólar Start, treinamento completo para você!

O porte de uma empresa é uma classificação essencial que ajuda a entender o tamanho e o potencial de uma organização. De modo geral, o faturamento e o número de funcionários são os fatores mais importantes para enquadrar o negócio em alguma das categorias. 

No entanto, o sistema de classificação brasileiro não é tão claro e muitos empreendedores não sabem dizer a diferença entre micro, pequena, média e grande empresa. Neste artigo, vamos desvendar os diferentes portes de empresa e explicar por que é importante entender o tamanho de um negócio.

🥇 Rank oficial dos melhores cursos de investimento

Precisando aprender programação mas não sabe por onde começar? Conheça agora nossa lista com os melhores cursos de programação de 2023 e veja qual será o melhor para você e seu bolso.

O que é porte de empresa?

O porte de uma empresa se refere ao seu tamanho e à escala de suas operações. É uma medida que classifica as empresas com base em diversos critérios, como faturamento anual, número de funcionários, estrutura organizacional e, em alguns casos, setores específicos de atuação.

Essa classificação visa proporcionar uma compreensão clara do perfil e das necessidades de uma empresa, o que, por sua vez, influencia como ela é regulamentada, tributada e financiada.

Em resumo, o porte da empresa é um indicador fundamental para determinar sua posição no cenário empresarial e para adequar suas estratégias de acordo com seu tamanho e recursos disponíveis.

Por que o porte de empresa é importante?

Compreender o porte de uma empresa é crucial por uma série de motivos. Primeiramente, essa classificação influencia diretamente as obrigações fiscais e tributárias da organização, além de determinar o acesso a determinados benefícios e incentivos governamentais. 

Além disso, o porte da empresa pode impactar a capacidade de obtenção de crédito e financiamento, bem como a percepção de clientes e parceiros comerciais. Nesta seção, vamos explorar em detalhes as implicações fiscais e legais do porte da empresa, bem como seu impacto no financiamento e crédito.

Implicações fiscais e legais

O porte da empresa tem implicações fiscais e legais significativas. Por exemplo, uma microempresa individual e uma grande corporação devem receber tratamentos tributários bem diferentes na legislação, considerando sua movimentação financeira e complexidade.

Além disso, com base no porte, o governo pode definir incentivos fiscais e os bancos podem conceder linhas de crédito específicas. Por isso é importante definir o porte da empresa e entender quando ela muda de categoria conforme os critérios previstos em lei.

Afinal, o objetivo de todo negócio é crescer, e isso significa evoluir o porte com o passar do tempo.

Impacto no financiamento e crédito

O porte da empresa também tem um impacto direto no financiamento e crédito que a empresa pode acessar. Bancos e outras instituições financeiras muitas vezes têm produtos e serviços específicos para empresas de diferentes tamanhos.

Por exemplo, uma microempresa pode ser elegível para certos tipos de empréstimos ou linhas de crédito que não estão disponíveis para empresas maiores. Da mesma forma, empresas maiores podem ter acesso a opções de financiamento que não estão disponíveis para empresas menores.

Como o porte de empresa é classificado no Brasil

No Brasil, não existe uma única base de classificação de porte da empresa, pois há diversos critérios adotados por diferentes órgãos. Por exemplo, a Receita Federal se baseia no faturamento bruto anual das empresas para definir o tamanho, enquanto o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) considera o número de colaboradores do negócio.

Mesmo assim, o critério mais comum continua sendo o faturamento, que expressa com mais precisão o porte das empresas.

Classificação por faturamento

Se consideramos a Lei Complementar nº 123 de 2006, conhecida como Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, estas são as classificações oficiais de porte empresarial por faturamento:

  • Microempresa (ME): faturamento bruto anual menor ou igual a R$ 360 mil
  • Empresa de Pequeno Porte (EPP): faturamento bruto anual maior que R$ 360 mil e menor ou igual a R$ 4,8 milhões.

Logo, as empresas que faturam acima de R$ 4,8 milhões são classificadas como médias e grandes. A legislação não define exatamente o faturamento de uma média empresa, mas é possível deduzi-lo a partir da Lei nº 11.638 de 2007, que determina o que é uma empresa de grande porte.

Classificação por número de funcionários

Em relação ao número de funcionários, o Sebrae e o IBGE trabalham com as seguintes classificações:

  • Empresas da indústria: Micro (até 19 pessoas ocupadas), Pequena (de 20 a 99 pessoas ocupadas), Média (de 100 a 499 pessoas ocupadas), Grande (acima de 500 pessoas ocupadas).
  • Empresas do comércio e prestação de serviços: Micro (até 9 pessoas ocupadas), Pequena (de 10 a 49 pessoas ocupadas), Média (de 50 a 99 pessoas ocupadas), Grande (acima de 100 pessoas ocupadas).

Classificação por grupos (ANVISA)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) possui um sistema de classificação de porte da empresa próprio, baseado na Medida Provisória nº 2.190-34 de 2001. Para o órgão, as empresas são divididas entre os seguintes grupos:

  • Grupo I – Empresa de Grande Porte: faturamento anual superior a R$ 50 milhões
  • Grupo II – Empresa de Grande Porte: faturamento anual igual ou inferior a R$ 50 milhões e superior a R$ 20 milhões
  • Grupo III – Empresa de Médio Porte: faturamento anual igual ou inferior a R$ 20 milhões e superior a R$ 6 milhões
  • Grupo IV – Empresa de Médio Porte: faturamento anual igual ou inferior a R$ 6 milhões e superior a 4,8 milhões
  • Empresa de Pequeno Porte: faturamento anual igual ou inferir a R$ 4,8 milhões e superior a R$ 360 mil
  • Microempresa: faturamento anual igual ou inferior a R$ 360 mil.

Porte de empresa x Natureza jurídica

É muito comum a confusão entre os conceitos de porte da empresa e natureza jurídica, pois são muitas denominações para considerar na hora de abrir um negócio. Enquanto o porte diz respeito ao tamanho, a natureza jurídica é uma forma de classificação que determina a estrutura e constituição legal de uma empresa (número de sócios, obrigações, capital social, etc.).

No Brasil, a Comissão Nacional de Classificação (CONCLA), ligada ao IBGE, é responsável por definir as naturezas jurídicas das empresas. As mais comuns são: Empresário Individual (EI), Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI), Sociedade Limitada (LTDA) e Sociedade Anônima (SA). Cada uma delas tem suas particularidades e exigências, que devem ser consideradas na hora de abrir um negócio.

Os diferentes portes de empresa e suas características

No Brasil, as empresas são classificadas em diferentes portes, cada um com suas próprias características e requisitos. Essas classificações incluem o Microempreendedor Individual (MEI), a Microempresa (ME), a Empresa de Pequeno Porte (EPP), a Empresa de Médio Porte e a Empresa de Grande Porte. 

Cada uma dessas categorias tem suas próprias características, vantagens e desvantagens, e é importante entender cada uma delas para tomar decisões informadas sobre o futuro do seu negócio. Nesta seção, vamos explorar cada um desses portes de empresa em detalhes.

Microempreendedor Individual (MEI)

O Microempreendedor Individual (MEI) é uma categoria de porte da empresa criada para regularizar a situação de pequenos negócios e trabalhadores autônomos. Para se enquadrar como MEI, o faturamento anual não pode ultrapassar R$ 81 mil, o que dá uma média de R$ 6.750 por mês.

Além disso, o MEI não pode ter participação em outra empresa como sócio ou titular e pode ter no máximo um empregado contratado.

Microempresa (ME)

A Microempresa (ME) é uma categoria de porte da empresa que tem um faturamento anual de até R$ 360 mil. Este tipo de empresa pode ter mais funcionários do que o MEI e não tem restrições quanto à participação em outras empresas.

As MEs também têm acesso a regimes tributários diferenciados, como o Simples Nacional, que simplifica o pagamento de impostos.

Empresa de Pequeno Porte (EPP)

A Empresa de Pequeno Porte (EPP) é uma categoria de porte da empresa que tem um faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões. Assim como as MEs, as EPPs também têm acesso a regimes tributários diferenciados, como o Simples Nacional. Além disso, as EPPs podem ter um número maior de funcionários do que as MEs.

Empresa de Médio Porte

A Empresa de Médio Porte é uma categoria de porte de empresa que tem um faturamento anual entre R$ 4,8 milhões e R$ 300 milhões. Este tipo de empresa tem acesso a uma série de benefícios e incentivos fiscais, além de ter um maior acesso a crédito e financiamento.

Empresa de Grande Porte

A Empresa de Grande Porte é uma categoria de porte da empresa que tem um faturamento anual superior a R$ 300 milhões. Este tipo de empresa tem acesso a uma série de benefícios e incentivos fiscais, além de ter um maior acesso a crédito e financiamento.

As empresas de grande porte também têm uma maior capacidade de investimento e podem ter um impacto significativo na economia.

A importância de entender o porte da sua empresa

Entender o porte da sua empresa é fundamental para tomar decisões estratégicas e aproveitar as oportunidades disponíveis para o seu negócio. O porte da empresa determina o tipo de tratamento fiscal que a empresa recebe, o tipo de financiamento e crédito que ela pode acessar, e pode até mesmo influenciar a percepção do mercado sobre a sua empresa.

Portanto, é importante entender o porte da sua empresa e como ele pode mudar à medida que o seu negócio cresce.

Perguntas frequentes sobre porte de empresa

Quais são os tipos de porte de empresa?

Existem diferentes tipos de porte de empresa, geralmente classificados em microempresa, pequena empresa, média empresa e grande empresa, baseados em critérios como faturamento anual, número de funcionários e estrutura organizacional. Essas classificações variam de acordo com as regulamentações e padrões de cada país.

Como classificar o porte de uma empresa?

O porte de uma empresa geralmente é classificado com base no seu faturamento anual ou no número de funcionários. No Brasil, pequenas empresas têm faturamento ou número de funcionários limitados, médias empresas estão entre os limites estabelecidos e grandes empresas ultrapassam esses limites, indicando maior escala e estrutura organizacional.

Como saber qual é o porte da sua empresa?

No Brasil, a classificação mais comum considera microempresas (faturamento até R$ 360 mil), pequenas empresas (faturamento até R$ 4,8 milhões), médias empresas (faturamento até R$ 300 milhões) e grandes empresas (faturamento acima de R$ 300 milhões).

Qual é o porte de uma empresa LTDA?

O porte de uma empresa LTDA pode variar significativamente, pois não é determinado apenas pela estrutura jurídica, mas também por fatores como faturamento, número de funcionários e ativos. Geralmente, empresas LTDA são de porte pequeno ou médio, embora algumas possam ser grandes dependendo do seu tamanho e operações.

Esse artigo foi útil para você? 🤔
Deixe seu comentário!

Equipe de redação da Finnancas.com. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.

Compartilhe

Invista no exterior de forma profissional!

Aprenda como investir na maior bolsa de valores do mundo.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima